quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

A Evolução da Música Brasileira

1957

Boemia, aqui me tens de regresso
E suplicante te peço a minha nova inscrição.
Voltei pra rever os amigos que um dia
Eu deixei a chorar de alegria; me acompanha o meu violão.
Boemia, sabendo que andei distante,
Sei que essa gente falante vai agora ironizar:
"Ele voltou! O boêmio voltou novamente.
Partiu daqui tão contente. Por que razão quer voltar?"
Acontece que a mulher que floriu meu caminho
De ternura, meiguice e carinho, sendo a vida do meu coração,
Compreendeu e abraçou-me dizendo a sorrir:
"Meu amor, você pode partir, não esqueça o seu violão.
Vá rever os seus rios, seus montes, cascatas.
Vá sonhar em novas serenatas e abraçar seus amigos leais.
Vá embora, pois me resta o consolo e alegria
De saber que depois da boemia
É de mim que você gosta mais"

(A Volta do Boêmio - Nelson Gonçalves)


1988

Não me convidaram
Pra esta festa pobre
Que os homens armaram
Pra me convencer
A pagar sem ver
Toda essa droga
Que já vem malhada
Antes de eu nascer...

Não me ofereceram
Nem um cigarro
Fiquei na porta
Estacionando os carros
Não me elegeram
Chefe de nada
O meu cartão de crédito
É uma navalha...

Brasil!
Mostra tua cara
Quero ver quem paga
Pra gente ficar assim
Brasil!
Qual é o teu negócio?
O nome do teu sócio?
Confia em mim...

(Brasil - Cazuza e George Israel)



1995

Pau que nasce torto
Nunca se endireita
Menina que requebra,
Mãe pega na cabeça
Pau que nasce torto
Nunca se endireita
Menina que requebra,
Mãe pega na cabeça
Domingo ela não vai(2x)
Pau que nasce torto
Nunca se endireita
Menina que requebra,
Mãe pega na cabeça
Pau que nasce torto
Nunca se endireita
Menina que requebra,
Mãe pega na cabeça
Domingo ela não vai(2x)

Segura o tcham
Amarra o tcham
Segura o tcham, tcham, tcham, tcham, tcham
Segura o tcham
Amarra o tcham
Segura o tcham, tcham tcham tcham tcham

(Melô do Tchan - É o Tchan)



2003

Vou mandando um beijinho
Pra filhinha e pra vovó
Só não posso esquecer
Da minha egüinha Pocotó

Pocotó pocotó pocotó pocotó
Minha egüinha pocotó

O jumento e o cavalinho
Eles nunca andam só
Quando sai pra passear
Levam a égua Pocotó

Pocotó pocotó pocotó pocotó
Minha egüinha Pocotó...

(Eguinha Pocotó - Mc Serginho)




2011

Você, você, você, você, você, você, você quer?
Você, você, você, você, você, você, você quer?
Você, você, você, você, você, você, você quer?
Você, você, você, você, você, você, você quer?

Você quer?

(Você Quer - Mulher Melão)


5 comentários:

  1. Nossa, quanta evolução cultural.

    ResponderExcluir
  2. Evoluiu para se adaptar ao ambiente.
    Evolução nem sempre é progresso.
    Progresso nem sempre é melhor.

    ResponderExcluir
  3. A medida que o tempo passa as coisas se transformam, o que não quer dizer necessariamente que seja para melhor. Logo há também uma mudança do ambiente. Os entes do ambiente se relacionam com o ambiente também o transformando, nessa troca um molda o outro. Evolui sim, mas não quer dizer que progride. Para justificar um progresso é necessário um ponto para avaliação que tenha apresentado melhoras. E o que melhorou pode não valer o custo de seu progresso. Supondo que em termos históricos estejamos tecnologicamente avançados em relação aos gregos clássicos, mas os gregos moral e eticamente avançados em nossa relação, quem teve os maiores progressos?

    Com a música é a mesma coisa, ela só evoluiu por que as pessoas passaram a aceitar o novo tipo, e assim a indústria fonográfica adaptou-se ao novo público. E logicamente houve progresso pois houve aumento de lucros, mas não houve progresso em qualidade musical.

    ResponderExcluir